Categorias
Sem categoria

Qual é a frase da sua vida?

Todos nós temos algumas frases que acabou por nortear as nossas vidas… Compartilho com vocês aquelas que fazem parte do meu cotidiano!

Categorias
Sem categoria

Dicas para combater a segunda onda do corona vírus

O Projeto SementesDeMentes compartilha com vocês este conjunto muito prático de procedimentos operacionais padrão, usando princípios de racionalidade, ciência e avaliação de risco. Segue as dicas:

📌Mantenha distância entre as pessoas;

📌Use uma máscara;

📌Lave as mãos com freqüência;

📌Gargareje com enxaguatório bucal com álcool todas as noites;

📌As pessoas devem manter uma distância de 2 metros;

📌Fique o máximo que puder ao ar livre com pessoas estranhas.

📌Tente evitar ficar cara a cara ao falar com outras pessoas;

📌Ao voltar para casa lave as mãos, o rosto e as roupas imediatamente;

📌Lave suas mãos assim que tocar na mão de alguém;

📌Fazer compras no supermercado é melhor para 1 pessoa, para escolher o horário em que há menos pessoas;

📌Tente não tocar nas amostras de produtos.

📌Não fale no transporte público;

📌Se possível, va para o trabalho de bicicleta ou a pé;

📌É melhor usar cartões de visita eletrônicos;

📌Tente usar videoconferência do que você se encontrar com pessoas;

📌Para controlar o número de pessoas nas reuniões, use máscaras e abra as janelas para ventilar;

📌Trabalhe em casa ou viaje fora do horário de pico;

📌Não vá para países ou lugares onde o vírus é endêmico;

📌Tente não ir visitar a família e viajar;

📌Quando você tiver sintomas, lembre-se de onde você foi e quem conheceu;

📌Se for comer com outras pessoas, tente não ser cara a cara, dê preferência para um ao lado do outro;

📌Não use tigelas e potes grandes para compartilhar alimentos, implemente um sistema de porções individuais divididas;

📌Converse menos quando estiver comendo e coma mais vegetais e frutas;

📌Tente não reunir muitas pessoas para comerem juntas;

📌Evite “espaços fechados, multidão densa e contato íntimo”

📌Cubra a tampa ao dar descarga;

📌Não fique muito tempo em um espaço estreito;

📌Ao caminhar e correr, o número de pessoas deve ser pequeno, ao se encontrarem escalonem a distância;

Vale a pena aprender.
Compartilhe com sua família, amigos e nas redes sociais!

Blog SementesDeMentes
Metamorfoseando Cérebros Pensantes

www.sementesdementes.com

Categorias
Sem categoria

Podcast Radio Requicios – Ouça o novo parceiro do nosso blog! Descubra músicas lançadas nesse período de pandemia by Brunão

QUARENTENA – SELEÇÃO – 01 “Uma pesquisa no site da Hominis canidae”

06 músicas lançadas durante o ano de 2020, sendo que todas elas foram baixadas do site hominiscanidae.org (endereço completo: https://www.hominiscanidae.org)

  • 1.Sede – Murica
  • 2.Psykick Dancehall – Bonifrate (The Fall)
  • 3.As sementes – Marcelo D2
  • 4.Delírios Líricos – Tatá Aeroplano
  • 5.Dark Spot – Bossa Noise
  • 6.De Lei – Jovem Esco

Categorias
Sem categoria

Nossa curadoria semeando para você! Três textos para se metamorfosear

Selecionamos 3 textos publicados por esses dias e que merecem ser lidos nesse final de semana!

☑Influenciadores digitais para quem quer mudar o mundo
https://www.uol.com.br/ecoa/colunas/julia-rocha/2020/11/08/influenciadores-digitais-para-quem-quer-mudar-o-mundo.htm

☑“O capitalismo cria necessidades artificiais para vender suas mercadorias”. Entrevista com Razmig Keucheyan
Quais são realmente as nossas necessidades?
http://www.ihu.unisinos.br/604668-o-capitalismo-cria-necessidades-artificiais-para-vender-suas-mercadorias-entrevista-com-razmig-keucheyan

☑ Estes 10 gatilhos mentais fazem consumidores gastarem muito mais na Black Friday
Conheça técnicas para estimular tomadas de decisão e vender mais nesta temporada de descontos – ou, como consumidor, saiba fugir das compras desnecessárias
https://www.infomoney.com.br/consumo/estes-10-gatilhos-mentais-fazem-consumidores-gastarem-muito-mais-na-black-friday/

Categorias
Sem categoria

Uma letra e que letra! Uma música: Chico Buarque – Geni e o Zepelin

Várias fontes indicam que a canção é uma crítica ao colonialismo (ou imperialismo) e ao capitalismo, sendo a personagem uma representação do oprimido. Mais do que isso, a música nos faz pensar sobre a ingratidão humana! Faça sua própria interpretação lendo a letra e ouvindo a canção…

De tudo que é nego torto
Do mangue e do cais do porto
Ela já foi namorada
O seu corpo é dos errantes
Dos cegos, dos retirantes
É de quem não tem mais nada
Dá-se assim desde menina
Na garagem, na cantina
Atrás do tanque, no mato
É a rainha dos detentos
Das loucas, dos lazarentos
Dos moleques do internato
E também vai amiúde
Com os velhinhos sem saúde
E as viúvas sem porvir
Ela é um poço de bondade
E é por isso que a cidade
Vive sempre a repetir
Joga pedra na Geni!
Joga pedra na Geni!
Ela é feita pra apanhar!
Ela é boa de cuspir!
Ela dá pra qualquer um!
Maldita Geni!
Um dia surgiu, brilhante
Entre as nuvens, flutuante
Um enorme zepelim
Pairou sobre os edifícios
Abriu dois mil orifícios
Com dois mil canhões assim
A cidade apavorada
Se quedou paralisada
Pronta pra virar geleia
Mas do zepelim gigante
Desceu o seu comandante
Dizendo: “Mudei de ideia!”
Quando vi nesta cidade
Tanto horror e iniquidade
Resolvi tudo explodir
Mas posso evitar o drama
Se aquela formosa dama
Esta noite me servir
Essa dama era Geni!
Mas não pode ser Geni!
Ela é feita pra apanhar
Ela é boa de cuspir
Ela dá pra qualquer um
Maldita Geni!
Mas de fato, logo ela
Tão coitada e tão singela
Cativara o forasteiro
O guerreiro tão vistoso
Tão temido e poderoso
Era dela, prisioneiro
Acontece que a donzela
(E isso era segredo dela)
Também tinha seus caprichos
E ao deitar com homem tão nobre
Tão cheirando a brilho e a cobre
Preferia amar com os bichos
Ao ouvir tal heresia
A cidade em romaria
Foi beijar a sua mão
O prefeito de joelhos
O bispo de olhos vermelhos
E o banqueiro com um milhão
Vai com ele, vai, Geni!
Vai com ele, vai, Geni!
Você pode nos salvar
Você vai nos redimir
Você dá pra qualquer um
Bendita Geni!
Foram tantos os pedidos
Tão sinceros, tão sentidos
Que ela dominou seu asco
Nessa noite lancinante
Entregou-se a tal amante
Como quem dá-se ao carrasco
Ele fez tanta sujeira
Lambuzou-se a noite inteira
Até ficar saciado
E nem bem amanhecia
Partiu numa nuvem fria
Com seu zepelim prateado
Num suspiro aliviado
Ela se virou de lado
E tentou até sorrir
Mas logo raiou o dia
E a cidade em cantoria
Não deixou ela dormir
Joga pedra na Geni!
Joga bosta na Geni!
Ela é feita pra apanhar!
Ela é boa de cuspir!
Ela dá pra qualquer um!
Maldita Geni!
Joga pedra na Geni!
Joga bosta na Geni!
Ela é feita pra apanhar!
Ela é boa de cuspir!
Ela dá pra qualquer um!
Maldita Geni!